Olá, pessoal!

"Todo homem tem direito de pensar o que quiser, de desenhar, de pintar, de cantar, de compor, de escrever o que ele quiser." (Raul Seixas - editado)

Espero que gostem do que vão ler aqui!
Darei o meu máximo, não sei se sempre, mas farei o possível! :)

10 de novembro de 2010

E o medo.

Foi tão de repente. Inexplicavelmente e depois do beijo ele se vira e caminha. Ele se vai. Foi-se. E o amargo no peito adocicava minha boca. Era aquela vontade louca de correr e dizer “Não! Fica mais um pouco?”. Era um pedido que insistiu em permanecer na mente por um bom tempo. Mas me contive.
E o medo que senti naquele momento bagunçou tudo. Foi uma mistura de sentimentos. Quase que com a ajuda de um liquidificador. Mas, eu digo, quase!
Um sentimento ruim, mas que me revitalizava. Tinha vontade de ser sempre melhor que antes. Sempre mais disposta que o minuto anterior. Mais dedicada do que na tarefa anterior. Mais feliz. A cada dia. Muito mais feliz, a cada dia.
Uma humilde despedida. Um simples beijo. Aquele eterno abraço. Hum! Longo! Abraço. Eterno. Uma pessoa. Várias qualidades. Alguns defeitos. Muitos, eu sei. Mas são irrelevantes. Ao menos para mim, claro.
E aquele medo atrapalhou tudo. Meus planos e conquistas. Meus gostos e minhas escolhas. Meus prazeres e até mesmo meu sossego. Minha alegria e, juntamente, minhas tristezas.
Mas passou. Foi por um momento. Foi tão de repente.

E agora, eu só tenho medo de sentir, justamente, aquele medo.

7 comentários:

  1. Legal o texto muito romântico....

    ResponderExcluir
  2. HAhahaha esse medo, seria aquele friozinho na barriga?! Show de bola o texto. E normalmente o que vale sao qndo as qualidade se sobressaem aos defeitos. Dai sabemos q essa é uma pessoa q vale a pena.

    Fiquei um tempo sem o blog. Quero ler o final do teu texto. Farei isos depois e comentarei lá.

    Bjss

    http://www.estilodistinto.com/

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto, ficou lindo <3
    Como sempre, você está de parabéens!!!

    ResponderExcluir
  4. Escreve muito bem, estou seguindo, segue também? *-* http://comentariosdesconcertantes.blogspot.com/ beijos.

    ResponderExcluir
  5. ei ana :] gostei da forma que você escreveu...meio ''quebradiço'', parecendo um pensamento um pouco duvidoso, querendo e não querendo acreditar rs
    o medo de sentir aquele medo outra vez...acaba sendo uma espécie de ''charme'', do inatingível, mas que deixamos passar. ''o amargo do peito adocicava minha boca''
    belos versos!!

    bjs

    ResponderExcluir
  6. Posso dizer que achei tão bom quanto os textos da maravilhosa Clarice Lispector,suas palavras se encaixam com coisas que sentimos em alguns momentos. Parabéns

    ResponderExcluir

E você, tem algo a dizer? :)